fundo

Tratamento Médico

Foram vários os tratamentos propostos para a perca de cabelo, desde os primórdios da história do homem. Desde a utilização de ervas, óleos, cinzas, choques elétricos, massagens, laser, perucas, etc. Contudo os resultados nunca foram satisfatórios. A base do tratamento médico consiste na redução da DHT e na dos recetores androgenicos contra a ação da DHT.
Normalmente os benefícios obtidos estão na redução da velocidade de instalação da calvice, e apenas aparecem 6 a 8 meses após o uso continuo de medicação. Ainda não existe tratamento médico a curto prazo. Portanto para ter resultados o paciente terá sempre que fazer o tratamento continuo entre os 20 e os 50 anos de idade, acabando por sofrer as consequências da toma continua de medicação.


Apesar de existirem no mercado múltiplos medicamentos, o Dr. Dinis Cruz sugere apenas dois, que nos parecem mais comuns com alguma eficácia, que são:

 

- Finasterida
É um potente inibidor da enzima 5 alfa redutase tipo 2, que foi aprovado pela FDA para tratamento de Alopécia Androgenetica em 1997 com o nome comercial de Propécia(R). Atua bloqueando a conversão de testosterona em DHT. Numa primeira fase do estudo em 933 homens com idades de 18 a 41 anos, com calvices suaves ou moderadas foram divididos em grupos que receberam, de forma aleatória, 1 mg de Finasterida por dia ou placebo (comprimido sem medicação) durante 1 ano. Fotografias padronizadas tiradas depois de 1 ano mostraram que em 1% dos homens avaliados a perca de cabelo evoluiu.
Em 51% houve estabilização sem aumento de calvice. Em 48% houve reversão do processo de miniaturização com aumento da densidade dos fios de cabelo.
A mesma análise foi efetuada 2 anos depois onde se verificou que 60% dos homens demonstravam melhorias no volume e na quantidade de cabelo e 88% demonstravam estabilização do processo de calvice que vinha evoluindo até então. A resposta do Finasterida pode ser observada após 6 a 8 meses de tratamento com 1mg por dia.
O Finasterida é um bom medicamento para indivíduos em fase inicial de alopécia androgenetica, contudo caso já exista alopécia em alguma área, será muito difícil o problema ser resolvido apenas com esta medicação.

 

- Minoxidil 5%
Alguns pacientes tratados com Minoxidil via oral, apresentavam como efeito colateral o crescimento dos pelos do corpo, o que levou os cientistas a crer que o uso tópico do produto poderia fazer crescer cabelos.
Inicialmente a dose preconizada foi de 2% e deveria-se massajar o couro cabeludo 2 vezes por dia de forma interrupta sob pena de qualquer benefício ser perdido com a interrupção do tratamento.
Após anos de experiências chegou-se ao consenso de que menos de 15% dos homens tratados com minoxidil a 2% tiveram discretos benefícios com aumento dos pelos do couro cabeludo, sem melhoras aparentes da estética do cabelo.
Atualmente é usado minoxidil a 5% porém não se acredita que o seu uso isolado promova grandes benefícios na alopécia androgenetica.
Lembre-se que a causa da alopécia androgenética está na associação do gene da calvície com o DHT e o minoxidil não atua nestas causas.

Tratamentos

Imagem 1

Vários tratamentos para a alopécia

imagem

Dr. Cruz Dinis

Conheça melhor a biografia e a experiência profissional do responsável pelo Centro de Transplante de Cabelo.

imagem

A Cirurgia

Explicamos-lhe exactamente como se processa a cirurgia, quais as técnicas utilizadas e os resultados que poderá esperar.

imagem

Perguntas e respostas

As perguntas mais frequentes sobre a perca de cabelo e o transplante capilar, respondidas pelo Dr. Cruz Dinis.